Nistagmografia (“o exame da labirintite”)

1. Quem deve realizar esse exame?

Alguns pacientes com alguns tipos de tontura e desequilíbrio.

2. O exame vai dizer ou não se eu tenho labirintite?

Não. O exame vai indicar a função dos seus labirintos e dar algumas pistas que, aliadas à história da sua doença, ao exame físico e a outros exames complementares vão dizer ao médico se você tem algum tipo de labirintite (lembre-se que são mais de 40 tipos)

3. Qual profissional realiza o exame?

Na grande maioria dos locais, a fonoaudióloga. Alguns médicos otorrinos também o realizam.

4. Preciso de algum preparo especial?

Sim, você não deve utilizar medicações que acalmem os labirintos por 2 dias antes do exame, por exemplo: Dramin, Meclin, Vertix, Vertizine. É recomendável conversar com seu médico sobre a necessidade de parar outras medicações também como Rivotril, Lorazepam ou Diazepam, entre outros.

5. Como funciona o exame?

Primeiramente são posicionados eletrodos na sua face, em seguida a fonoaudiológa movimenta o corpo e a cabeça estudando os labirintos

otn1

Por fim, realiza a prova calórica, que consiste na irrigação dos ouvidos, com água ou ar quentes e frios.

vecto

6. O exame vai me deixar tonto?

Durante o exame sim, pois estamos testando a funcionalidade dos seus labirintos. Após alguns minutos da realização do mesmo, tudo volta ao normal. Em alguns pacientes sensíveis isso pode durar algumas horas, porém não mais que 6 horas.

5. Devo levar alguém comigo?

Sim, é recomendável.

6. Afinal o que são os labirintos?

Temos 1 labirinto de cada lado do ouvido, na região interna, não sendo visível pelo médico, apenas por exames especiais. Eles sentem a movimentação do nosso corpo e cabeça e enviam essas informações ao nosso cérebro.

Labirintite1